terça-feira, 13 de setembro de 2011

O Cinismo da reciclagem

A questão do lixo é um dos maiores problemas ambientais das grandes cidades brasileiras. Por isso, vem sendo utilizado como temática de vários programas de educação ambiental em escolas. Este problema gerou a formulação da chamada Política ou Pedagogia dos 3R's, “reduzir”,” reutilizar” e “reciclar”.

No entanto, esses programas de educação ambiental nas escolas, se reduzem a implantação de lixeiras para a coleta seletiva do lixo, e não fazem uma real reflexão a respeito dos valores culturais da sociedade de consumo e dos aspectos políticos e econômicos da questão do lixo *.

Segundo o texto esta discussão sobre a Coleta Seletiva de lixo, entrou em cena devido a saturação dos depósitos de lixo que preocupa os municípios e também por causa de uma preocupação em relação ao esgotamento dos recursos naturais, tema ressaltado no Clube de Roma.

Para o discurso ecológico alternativo, ou seja, o da ideologia contra-hegemônica, a questão do lixo é um problema de ordem cultural, derivado do consumismo exagerado, que sempre foi tido como sinônimo de bem-estar, mas atualmente é responsável por uma série de problemas ambientais.

O problema disso tudo, é que este é um caso muito complexo. Por mais que queiramos diminuir o consumismo o sistema vive nos impondo. Afinal, a vida útil dos produtos torna-se cada vez mais curta, pois o capitalismo cria essas demandas artificiais. Além disso, “mesmo que um determinado produto ainda esteja dentro do prazo de sua vida útil, do ponto de vista funcional, simbolicamente já está ultrapassado. A moda e a propaganda provocam um verdadeiro desvio da função primária dos produtos” *. “Dobrar a vida útil de um produto significa diminuir pela metade o consumo de energia, o lixo e a poluição gerada" * . Mas não é esta a prioridade do sistema.

“No que diz respeito à Pedagogia dos 3R's, o discurso ecológico alternativo advoga uma seqüência lógica a ser seguida: a redução do consumo deve ser priorizada sobre a reutilização e reciclagem; e depois da redução do consumo, a reutilização deve ser priorizada sobre a reciclagem” *. Ao contrário, o discurso ideológico oficial confere máxima importância à reciclagem em detrimento da redução do consumo e do reaproveitamento. Pois, para eles, a questão do lixo é um problema de ordem técnica, não cultural. O problema é o consumo insustentável, não o consumismo. Propõem como solução o consumo sustentável, que seria propiciado pela aliança da reciclagem com as tecnologias limpas e eficientes. Não critica o consumismo, pois a redução deste, seria muito perigoso para o sistema econômico dominante. Não comenta a redução do consumo, mas para não ficar uma lacuna, salienta a redução do desperdício.

Dessa forma, “a Pedagogia dos 3R's preconizada pelo discurso ecológico oficial torna-se uma prática comportamentalista, ao invés de reflexiva, pois reduz a Pedagogia dos 3R's à Pedagogia da Reciclagem” * . Este é o Cinismo da Reciclagem. Ela provoca “um efeito ilusório, tranqüilizante na consciência dos indivíduos, que podem passar a consumir mais produtos, sobretudo descartáveis, sem constrangimento algum, pois agora são recicláveis e, portanto, ecológicos” *.

* LAYRARGUES, 2002.
* Ibidem, p.4.
* Ibidem, p.5.
* Ibidem, p. 4.
* Ibidem, p. 5.
* Ibidem, p. 6.


Resumo do texto "O cinismo da reciclagem" discutido no grupo de estudos do Programa "Educação Ambiental na escola: escossistemas da Ilha de Santa Catarina.

Referências
LAYARGUES, Philippe. O cinismo da reciclagem: o significado ideológico da reciclagem da lata de alumínio e suas implicações para a educação ambiental. LOUREIRO, F.; LAYARGUES, P.; CASTRO, R. (Orgs.) Educação ambiental: repensando o espaço da cidadania. São Paulo: Cortez, 2002, 179-220. Disponível em:
www.semebrusque.com.br/bibliovirtual/material/ea/ea_pdf0005.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário